Artur Moraes
ARTUR MORAES Jogador do Sport Lisboa e Benfica
Nome Artur Guilherme Moraes Gusmão
Data de Nascimento 25-01-1981
Nacionalidade Brasil
Naturalidade Leme (SP) - Brasil
Posição Guarda-redes
Altura 192 cm
Peso 90 kg

O “Senhor das Balizas”

Ao fim de um mês a defender a baliza do Benfica, Artur Moraes já era apontado, no difícil e incontornável Terceiro Anel, como o “Rei Artur”. Quem sabe um pouco da história do Benfica, sabe que o Terceiro Anel é uma forma simbólica de relacionar a equipa principal de futebol do clube “encarnado” com os seus exigentes adeptos e sócios.

Proveniente do Braga e após uma meia temporada de grande sucesso, que culminou com a presença na final da Liga Europa, defendendo a baliza do clube bracarense, Artur Moraes tinha uma missão muito espinhosa pela frente. Substituir, na baliza do Benfica, um guarda-redes talentoso mas que nunca conseguiu estabilizar a sua relação com os adeptos do clube. Foi um ano difícil para Roberto e terrível para o Benfica.

Foi assim que o Benfica, no início da época 2011-2012, tomou a decisão de contratar Artur Moraes, naquele que estaria destinado a ser o maior desafio profissional da carreira do guarda-redes brasileiro. Contratado para defender uma das balizas mais amaldiçoadas do campeonato português, Artur Moraes preparou-se para um início de campeonato onde tinha de convencer o treinador, Jorge Jesus e os adeptos do Benfica.

Frieza e experiência

Correram bem as primeiras semanas de Artur com o histórico emblema da águia ao peito, de tal forma que a classe internacional do guarda-redes brasileiro foi decisiva em quatro jogos consecutivos de acesso à Liga dos Campeões.

O fantasma de Roberto não assombrava Artur e poucas semanas depois de ter sido considerado o melhor guarda-redes da Liga Europa, pela UEFA, o guarda-redes do Benfica voltava a demonstrar a classe que o tornaria nos dois anos seguintes um jogador indiscutível.

Campeão no Brasil

Um dos próximos objectivos de Artur Moraes no Benfica é o de ser campeão. Aos seus amigos mais próximos já confessou que reforçou esse sonho depois de se ter apercebido da grandeza do seu clube. A mesma que o fez, em dois anos, recusar abordagens mais ou menos sérias de outros clubes, como Manchester United, Milan e Fenerbahçe, entre outros clubes europeus.

A verdade é que Artur Moraes criou uma relação de grande cumplicidade com o Benfica e com os seus adeptos, transformando-se rapidamente num ídolo. Porém, o experiente guarda-redes acredita que o melhor ainda está para vir, depois de ter perdido, de forma inglória, os dois últimos títulos nacionais com o Benfica.

Melhor guarda-redes brasileiro na Europa

Se a sua carreira no Brasil foi intermitente, embora com o seu potencial reconhecido em clubes como o Cruzeiro e o Coritiba, foi na Europa que Artur Moraes, finalmente, arrancou os maiores elogios, especialmente depois de ter chegado a Portugal. A porta de entrada no futebol europeu foi a Itália, onde o Siena e o Cesena permitiram que Artur Moraes se adaptasse com facilidade às exigências do futebol europeu. Foi aí que deu nas vistas, o suficiente para se transferir para a Roma, onde nunca chegou a ter verdadeiramente uma oportunidade séria e duradoura de se fixar na equipa principal. O titular foi sempre Doni, que quase nunca permitiu a Artur Moraes sair da sombra.

Mas a classe de Artur Moraes não passou despercebida a Fernando Couto, que, enquanto director-desportivo do SC Braga, aconselhou a sua contratação no início da época de 2010-2011.

A segunda metade da época seria sensacional. A titularidade entregue, finalmente, a Artur Moraes ajudou a estabilizar a equipa e a carreira na Liga Europa deu ao clube minhoto uma ascensão meteórica nas competições europeias. Artur Moraes foi considerado, pela UEFA, o melhor guarda-redes da competição e a transferência para o Benfica completou-se naturalmente.

No clube das “águias”, em dois anos, Artur Moraes reforçou o seu estatuto de guarda-redes de classe internacional e com melhores credenciais entre os “goleiros” brasileiros na Europa. Durante três anos, nenhum outro guarda-redes conseguiu brilhar tanto nas competições europeias como Artur Moraes, com duas finais atingidas e ainda uma presença nos quartos-de-final da Liga dos Campeões.

Pelo caminho, treinadores como Alex Ferguson, Luciano Spaletti e Rafa Benitez elogiaram a classe de Artur Moraes e saíram rendidos à categoria de um guarda-redes que os seus congéneres dos clubes da Primeira Liga, na época de 2011-2012, num inquérito realizado pelo jornal A BOLA, consideraram o melhor guarda-redes do campeonato.